Convidados

Owen Rees

Owen Rees é Leitor da Faculdade de Música, Fellow, Tutor e Organista do The Queen's College, e Investigador Sénior do Somerville College.

Nascido em 1964, frequentou o St Catharine's College, em Cambridge, onde recebeu uma Bolsa de Estudo em Órgão. A sua investigação pós-graduada também foi realizada em Cambridge, sob a orientação de Peter le Huray e Iain Fenlon, e completou o seu doutoramento em 1991. Foi professor no St Peter's College e St Edmund Hall, Oxford entre 1989 e 1991, e professor e leitor no Departamento de Música da Universidade de Surrey. Assumiu os seus cargos actuais em Oxford em 1997 e foi promovido a leitor em 2006.

Exerce actividade como académico e como intérprete, e essas duas áreas do seu trabalho complementam-se. A sua área de investigação está essencialmente relacionada com a música entre 1450 e 1650, particularmente em Espanha, Portugal e Inglaterra.

 A sua tese sobre a maior colecção remanescente de antigas fontes musicais portuguesas - do Mosteiro de Santa Cruz em Coimbra - trata tanto de repertórios portugueses como de ligações culturais e musicais entre Portugal e outros países. Editou música de três dos mais importantes compositores portugueses desse período: Manuel Cardoso, Pedro de Cristo e Duarte Lobo. Os seus artigos publicados sobre música espanhola abrangeram estudos das obras de Cristóbal de Morales e Francisco Guerrero, incluindo questões de emulação. Também escreveu sobre a música sacra de William Byrd.

A sua investigação reflecte-se frequentemente nos concertos e gravações dos vários grupos vocais que dirige:Contrapunctus, The Choir of The Queen’s College e The Cambridge Taverner Choir. Com esses grupos, lançou CD's nas editoras Hyperion, Guild e Herald, incluindo seis gravações de polifonia portuguesa de Manuel Cardoso, Duarte Lobo, Pedro de Cristo e outros compositores. Apresenta bastantes concertos todos os anos com estes grupos, no Reino Unido e no exterior. As participações recentes nos festivais incluem: Festival Kirchenmusic de Oslo, Festival Internacional “Portico de Semana Santa de Zamora” e o Festival de Música Antiga de York. Como Organista do The Queen's College, dirige o coro na provisão de música para as missas da capela (três por semana durante o período letivo), concertos, digressões e gravações.

O seu ensino em Oxford inclui muitas áreas da música renascentista, bem como prática historicamente informada e direcção coral. As disciplinas mais recentes que leccionou foram Música e Reformas Protestantes até c. 1630 e Música no Mundo Ibérico, 1492-1650. Em Queen's e Somerville, lecciona muitas áreas de licenciatura, incluindo matérias históricas, técnicas de composição estilística, análise e aptidão ao teclado. Foi orientador de dissertações de pós-graduação sobre uma grande variedade de tópicos, principalmente nos campos da música renascentista e barroca.

Pedro Teixeira

Obteve o grau de mestrado em Direção Coral pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde trabalhou com o Maestro Vasco Pearce de Azevedo e Paulo Lourenço. Foi professor na Escola Superior de Educação de Lisboa, lecionando Educação Vocal e Direção Coral, no curso Música na Comunidade. Foi elemento do Coro Gregoriano de Lisboa, no qual foi solista. Foi ainda cantor no Coro Gulbenkian, onde desempenhou as funções de maestro assistente convidado. Dirige o Coro Ricercare, onde trabalhou com Paulo Lourenço como maestro adjunto, passando a maestro titular em 2002; é diretor artístico do Grupo Vocal Officium; é diretor artístico das «Jornadas Internacionais Escola de Música da Sé de Évora», organização de Eboræ Musica – Associação Musical de Évora, que conta já com vinte e uma edições anuais.
Recebe em 2002 o prémio “The most promising conductor of Tonen 2002” na Holanda. No plano internacional, dirige desde 2011 em Barcelona, em conjunto com Peter Philips, Ivan Moody e Jordi Abelló, o workshop «Victoria400», atelier de canto coral dedicado à música renascentista e contemporânea espanhola, portuguesa e ortodoxa. Foi, de 2012 a 2018, maestro titular do Coro de la Comunidad de Madrid.

Joana Nascimento

Joana Nascimento estudou Canto na Escola de Música do Conservatório Nacional com Manuela de Sá. Posteriormente, trabalhou com Liliana Bizineche e Susana Teixeira. Como bolseira da Fundação Gulbenkian, estudou no Trinity College of Music, em Londres, sob a orientação de Hazel Wood. Participou em cursos de aperfeiçoamento com Jill Feldman, Peter Harvey, Peter Harrison, Helmut Lips, Marius van Altena, Max van Egmond, Martyn Hill, Iris dell’Acqua, Omar Ebrahim, Ian Pastridge, Dorothy Dorow, Robert Tear e Ron Murdock, entre outros. 


 

Como solista, cantou obras de Monteverdi, Vivaldi, Bach, Händel, Pergolesi, Mozart (entre outras, Requiem, no Grande Auditório do CCB), Haydn, Mendelssohn, Beethoven, Rossini, Saint-Saëns, Bruckner, Vaughan Williams, Honegger, Stockhausen e Louis Andriessen (no âmbito dos 26.os Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea). Desempenhou os papéis de Pastore na ópera L’Orfeo de Monteverdi, Joaz na ópera com o mesmo nome de Benedetto Marcello, Fatima, na ópera Zaira de Marcos Portugal (estreia moderna no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian), Strawberry Woman, na ópera Porgy and Bess de Gershwin, e Mrs. Noye, na ópera Noye’s Fludde de Britten. Apresentou-se com a Orquestra Gulbenkian no Festival ao Largo (iniciativa do Teatro Nacional de São Carlos) interpretando El Amor Brujo de Manuel de Falla. Em recital, apresentou-se com os pianistas Helena Rodrigues, João Crisóstomo e Nicholas McNair. 


É membro fundador do grupo vocal Voces Caelestes. Colabora regularmente com o grupo vocal Officium e o Coro Gulbenkian. Como solista, participou no CD A capela do Rei Magnânimo para a etiqueta PortugalSom, com música de Francisco António de Almeida e Domenico Scarlatti. No âmbito da sua colaboração com o agrupamento Vozes Alfonsinas, especializado no repertório medieval e renascentista, gravou o CD O Tempo dos Trovadores, editado pela PortugalSom. Apresenta-se também como solista no CD Vilancicos negros do século XVII (Coro Gulbenkian, direção do Maestro Jorge Matta), lançado pela Portugaler. Paralelamente ao seu trabalho artístico, desenvolve intensa atividade na área da pedagogia da voz.

Nicholas McNair

Nicholas McNair - Professor na ESML desde 1988. Ensina UCs Repertório de Canto, Correpetição, Leitura de Partituras, Harmonização e Improvisação ao piano, Improvisação ao Orgão, Formação Auditiva para cantores, e Grupo de Improvisação Instrumental (opção). Membro do Coro da Cathedral de Canterbury (chefe 1964), estudou piano, orgão e composição, tendo diplomas do Royal College of Organists e Royal College of Music (Londres), e o grau de Master of Arts da Universidade de Cambridge.

Sónia Duarte

É doutoranda em História da Arte na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e bolseira FCT com o projeto “Imagens de música na pintura do tempo do Barroco em Portugal (1600-1750)”. Ganhou vários prémios e bolsas entre os quais: Museo Nacional del Prado, Madrid (2018); Fundação para a Ciência e a Tecnologia/ Ministério da Educação e Ciência de Portugal (2017 – ); Museu Nacional da Música, Lisboa (PEJENE, 2010-2011). É mestre em Ciências Musicais-Musicologia Histórica pela Universidade Nova de Lisboa com a tese “O contributo da iconografia musical na pintura quatrocentista e quinhentista portuguesa, luso-flamenga e flamenga em Portugal, para o reconhecimento de práticas musicais da época: fontes e modelos utilizados nas oficinas de pintura” (2012). É licenciada em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto com o projecto “Arquitetura religiosa privada no concelho de Santa Maria da Feira: relação orago-comitente” (2004). Colaborou no livro “Instrumentos Musicais. Normas de Inventário” (Direcção-Geral do Património Cultural) e é co-editora do e-book “Iconografia musical: organologia, construtores e prática musical em diálogo” (CESEM, Universidade NOVA de Lisboa).

Paulo Lourenço

Doutorado em Direcção Coral pela Universidade de Cincinnati. Atualmente exerce funções de Professor Adjunto na Escola Superior de Música de Lisboa onde é coordenador do Mestrado em Direcção Coral. É maestro assistente do Coro Gulbenkian. É frequentemente convidado por universidades e outras instituições de ensino americanas, asiáticas e portuguesas para ministrar Master Classes e palestras onde tem divulgado a música e os compositores Portugueses. Apresentou-se quer como maestro convidado ou dirigindo os seus próprios agrupamentos em vários países da Europa, América e Ásia.

Fernando Pérez Valera

Fernando Pérez Valera é intérprete de diferentes instrumentos históricos de sopro (corneta, sacabucha, orlo, flauta doce, etc). Desde 1998 é membro fundador do grupo de ministreis Ensemble La Danserye, com quem realiza atuações em toda a Espanha, e outros países da Europa e América Latina desenvolvendo fundamentalmente programas de recuperação de património musical hispano-americano. Alguns deles gravados. Desde 2013 é membro fundador do conjunto Capella Prolationum.

David Martins

© 1997 - 2022 Eborae Mvsica - Todos os direitos reservados